quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Boas práticas - I

Chamar-lhe sustentabilidade parece-me demasiado pomposo, por isso prefiro dar-lhe o nome de "boas práticas", uma vez que são estas as que fazem parte da normalidade dos meus dias, e algumas desde que me entendo como gente. 

Há umas semanas encontrei a Marta - quer dizer, conheci-a pessoalmente, ou melhor ainda, ela é que me reconheceu, e após uma breve troca de palavras sobre um dos produtos que ela comercializa e eu utilizo, desafiou-me a escrever um post - que afinal vão ser mais... - sobre este assunto.

Para algumas pessoas ainda parece um bicho de sete cabeças, mas acreditem que não é, e assim que que se entranha, deixa-se de se estranhar.

Começo pelo que originou a conversa, o desafio e o post: o copo menstrual.

Já falei dele aqui e lembro-me que, na altura houve uma série de comentários, quer a favor, quer contra, públicos e privados. O que vos posso dizer é que desde que o adquiri nunca mais comprei tampões nem pensos higiénicos, o que no que diz respeito a investimento valeu bem a pena - basta fazer as contas. 

Em termos práticos: apenas tem e ser mudado de 12 em 12 horas, e não me venham com a história de que "tenho imenso fluxo" (em média um fluxo abundante é de 80ml durante todo o ciclo), porque não pega. E porquê? Com a utilização de pensos e tampões acabamos por não ter bem a noção do mesmo, porque basta um tampão ou um penso mal colocado para haver asneira e pensarmos que nos estamos a esvair em sangue. Além disso há copos com diversas capacidades: dependendo das marcas pode variar entre os 25ml e os 30ml. Parece pouco? Isto equivale, aproximadamente, a três tampões.

Outra questão levantada, na altura, teve a ver com a higiene. Sempre que falo nisto vejo caras franzidas à minha volta, numa expressão de nojo e repulsa. Confesso que antes de começar a usar também tive muitas dúvidas, porém não há nada de mais higiénico. Não, não sujamos as mãos. E o melhor de tudo: não tem cheiro! Aquele cheiro que se sente quando um tampão ou penso está ensopado - isso sim, é incomodativo, não para os outros mas para nós.

E não se sente? Não, não se sente! Depois de inserido, cria vácuo e nem se dá por ele. É uma maravilha! A primeira vez que o usei tive alguma dificuldade em retirá-lo, mas pensei: o máximo que me pode acontecer é ter de ir às urgências do hospital para mo tirarem. E não, não teria tido problemas com isso, afinal trata-se de um copo menstrual e não de nenhum objecto estranho.

O que mais posso dizer? Ler as instruções de manutenção!

"Ai, não tens vergonha de escrever sobre isto e te expores?" Meus amores, vergonha é roubar e ser apanhado, como se diz por aí.  Por que havemos de fazer de algo natural um tabu? Não é a Control Portugal que tem uma conta de Instagram que é, simplesmente, fantástica, original e divertida? E é sobre o quê? Sexo! 

Experimentem. Já há no mercado copos de vários preços e muitas vezes há promoções.

Ao longo da vida, uma mulher usa, em média 11.000 (sim, onze mil) tampões ou 10.000 a 15.000 pensos higiénicos. Um copo menstrual pode durar cerca de 10 anos, desde que a sua utilização e higienização seja feita da forma correcta.

Convencidas? Ou ainda não?

(os próximos posts ainda sobre boas práticas contemplam assuntos como: sacos de pano ecompras avulso, entre outros)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blogging tips