sábado, 6 de fevereiro de 2016

Ballet: workshop de pontas

O silêncio tem sido a palavra de ordem aqui neste canto que parece ditado ao abandono... 
Não é falta de assunto. Não. Pelo contrário, pois tenho algumas coisas para partilhar com quem ainda se mantém desse lado, mas ainda não estão prontas para serem divulgadas - por enquanto permanecem na curiosidade de alguns e no conhecimento de muito poucos. Posso apenas adiantar que dia 13 será o dia!
Por outro lado, quem me acompanha no Instagram sabe disso, ando super entusiasmada com o ballet. Nos últimos dias, então tenhao andado impossível (!!!), pois a expectativa de participar num workshop de pontas tem-me ocupado o pensamento durante muito tempo. Pareço uma miúda com um brinquedo novo - as sapatilhas - que me foram oferecidas pela minha afilhada (então não é que além de novas, têm o meu tamanho e formato de pé? uma sorte!).

Passar a barreira dos 40 e calçar umas pontas... A prova de que nunca é tarde para sonhar! 


Chegou o dia! A primeira sessão foi hoje.
Aprendemos a quebrar as sapatilhas. Sim, quebrar! Aquelas sapatilhas lindas que me fizeram sonhar tiveram de ser quebradas. Ninguém estava com coragem de o fazer, mas "o que tem de ser tem muita força": separar as diferentes camadas de palmilhas, dobrar as sapatilhas ao meio, pisar a parte da frente para as tornar mais maleáveis... não imaginam a quantidade de atrocidades! Ficámos também a saber como calcular o sitio certo para coser as fitas e o elástico que as prende aos pés. O atar das fitas também tem preceito e as pontas que sobram têm de ser escondidas. Tudo isto para que a sapatilha não salte do pé enquanto se dança.


O aquecimento não pode ser esquecido: há que aquecer os tendões e habituar o pé a posições desconfortáveis.

Depois foi a vez de nos aproximarmos da barra. Plies, meias-pontas, pontas! À terceira volta os dedos começaram a dar sinal de dor e os gémeos não estavam em melhor condição. Há que ter tornozelos fortes e isso trabalha-se, caso contrário o risco de lesões é muito maior.

Confesso que às tantas não sabia o que me custava mais: caminhar em pontas ou ter os pés bem assentes no chão. Descalçadas as sapatilhas a sensação é de alívio: os dedos voltam a mexer-se e ganham liberdade. No entanto, tenho a dizer-vos: custa-me muito mais umas horas em cima de uns saltos altos!!!


No próximo sábado há mais! E eu mal posso esperar :-D

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Mudam-se os tempos...mudam-se os tamanhos!


Ontem, ao arrumar o meu armário, e apenas por curiosidade fui buscar uns jeans que comprei há precisamente um ano para os comparar com os que adquiri há duas semanas. São da mesma loja, têm o mesmo modelo - eu e os jeans temos uma relação de amor ódio: ou não me ficam nada bem, ou quando descubro uns que ficam, compro todos iguais (quero lá saber se parece que uso sempre os mesmos!).
Ainda nas mesmas arrumações, "descubro" que uma das minhas gavetas está ocupada só com roupa de desporto: leggings, t-shirts, meias,soutiens de desporto, as sapatilhas de ballet...acho que só lá não tenho os ténis.
Posto isto dei comigo a pensar nas mudanças ocorridas durante o último ano, não só a nível físico mas também na minha maneira de pensar e de estar. 

Ao ver o tamanho da roupa a diminuir proibi-me de comprar camisolas largas - e oh, se há camisolas largas lindas de morrer - pois sei que nelas "cabe sempre mais um bocadinho", o que é meio caminho andado para me desleixar. Não ando por aí com os pneus de fora, mas tenho optado por roupa mais justa que me cai junto ao corpo sem o vincar. Além do mais, se antes achava que uma camisola larga me disfarçava o peso a mais, hoje quando visto uma sinto-me um autêntico saco de batatas.

Posso dizer que já me dou ao luxo de vestir peças que nunca chegavam a ir comigo para os provadores porque sabia que me íam ficar mal. E é tão gratificante ver isto acontecer. Isto, e descobrir ossos no corpo que "não sabia" que lá estavam.

(Que me perdoem todas as pessoas que fazem a apologia do excesso de peso. Eu sempre fui feliz com ele, mas agora sou muito mais! Além disso nunca deixarei de ser uma pessoa com curvas, qual Serra do Caldeirão, até porque essa é a minha estrutura e contra isso não há nada a fazer - por exemplo, nunca terei umas pernas magras e onde caibam umas botas normais compradas numa qualquer sapataria, nem as ancas estreitas ao ponto de vestir um vestido tubular...)

Depois disto, ou em simultâneo, nem sei, vem a mudança de paradigma relativamente ao exercício físico. Desde que me lembro nunca gostei de fazer exercício físico - as aulas de ginástica no colégio eram verdadeiros momentos de terror, dos quais, se pudesse, eu tinha fugido. Até há uns meses a aversão já não era tão grande, mas... E agora? Bem, agora a história é outra: duas vezes por semana ballet (que não é para meninas, não pensem...) e uma vez por semana um treino na rua, num pequeno grupo,  com um PT. Pior...dou comigo a pensar que me fazia falta mais qualquer coisa!!!


Onde é que está a velha Margarida? Não sei...deve ter ficado ali pelos 40 e só espero não encontrá-la tão cedo. O mais interessante é que, se eu consigo, qualquer outra pessoa consegue! Basta acreditar. Basta persistir. Basta encontrar o momento para começar e não deixar que ele se vá embora por comodismo ou facilitismo. Basta querer. Mas sobretudo, basta fazer!

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 

sábado, 23 de janeiro de 2016

O Instagram é como um livro infinito

É verdade que o Instagram veio tirar protagonismo ao blog e até ao facebook
É verdade que não tenho feito assim tanta coisa ou passeado por lugares que sejam novidade e que valham a pena partilhar.
Na realidade, os meus últimos tempos têm-se distribuido entre ballet - trabalho - mais trabalho - casa - treino ao sábado à tarde e pouco mais. 
Calma, não me estou a queixar, até porque da lista acima gosto de tudo o que faço.
Calma, não vou abandonar o Pano p'ra Mangas, pois este é "o menino dos meus olhos".

Agora, voltando ao Instagram. Tanto tempo por lá e acabo por encontrar coisas tão bonitas... há fotografias que me cortam o ar: umas pela delicadeza, outras por serem tão inspiradoras, outras por serem geniais, outras em que só faltam falar...e podia continuar a enumerar uma série de razões. E tal como as conversas que são como as cerejas, pois sucedem-se umas às outras, o mesmo acontece quando ando de conta de Instagram em conta de Instagram - umas com mais seguidores, outras com menos mas todas muito, muito bonitas e para todos os gostos. É como se tivesse nas mãos um livro daqueles que folheio mil vezes e a cada vez me deparo com páginas novas entre as que já tinha lido.
Dito isto, quero partilhar algumas convosco:


Levado à letra: é um" livro" ainda quase em branco, mas promete...ai promete pois!
Odelilepp: as cores, ou muitas vezes a ausência das mesmas fascina-me. 


Primerose and Company: a comida, as flores, as decorações...de inspirar e suspirar!
Lily: tem detalhes tão simples e tão bonitos...

Taste of Style: gosto de tudo...até do cão!
Pinhole Press: tem fotos giras, pronto ;-)


 O beija-flor: aqueles cadernos são qualquer coisa e enquadrados nestas fotos ficam uma super-qualquer-coisa!
Collective Hub: ainda bem que esta revista não chega cá...
Quella Claudia e On the bed project: (dois em um, pois pertencem à mesma pessoa) quem segue o meu IG sabe que tenho um fraquinho por fotografias vistas de cima e estas são mesmo, mesmo giras!

Nur: livros, flores, chávenas, fotos... é preciso dizer mais alguma coisa?
Saarmanche: nem sei por onde começar a enumerar, se pela composição, se pelas ilustrações, se ...


Nota: todas as imagens usadas neste post pertencem às contas de IG mencionadas nas legendas.

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Uma saia de tule


Esta coisa do ballet está a dar-me a volta ao miolo - para o bem, é óbvio! Antes do final do ano fui (na realidade é "fomos" - a classe dos adultos) desafiada a, daqui a uns meses, vestir um tutu e calçar umas sapatilhas de pontas ao que eu fiquei logo em pulgas, pois gosto deste tipo de desafios e este é múltiplo:
1. "dançar" em público sem ter medo do ridículo ou de julgamentos
2. vestir um tuto sem me sentir um cupcake ou a Popota antes de fazer dieta (é que com o passar dos anos também ela tem emagrecido...)
3. sapatilhas de pontas? certo é que vou praticar antes, mas será que me aguento?

Mas voltemos ao tutu. Tutu para aqui e tutu para ali levou-me ao lugar onde tudo é possível: o Pinterest e entre tutoriais e muitas fotografias nasceu a vontade - séria - de vestir uma saia de tule. Pronto! Disse: vestir uma saia de tule!!!

Sei desse lado quem me esteja a achar ridícula, mas temos pena... Há que saber ser ridícula com classe e nada melhor para tal que com uma saia de tule. Por isso ando na meca do tutorial perfeito para a saia perfeita. Na realidade não sei se haverá um que safisfaça as minhas necessidades, mas creio que com um bom "mix and match" conseguirei algo bom.

É verdade que podia comprar uma, e até sei de quem as faça bem bonitas, mas o prazer e o desafio de fazer é algo que vai para além da compreensão. Para além do diy preciso ainda de um bem precioso que ainda não descobri como ganhar, multiplicar ou esticar: o tempo.

Caso saibam ou tenham alguns bons tutoriais, e não se importarem de partilhar, deixem-me os links nos comentários abaixo ou enviem-me um e-mail. Obrigada!

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Brunch Detox

Eu, pecadora, me confesso: o Natal (quase) arruinou a minha dieta, pois não resisti nem às filhós nem ao bolo rei - quaquer um deles com moderação, é evidente,  mas não deixei de sentir um pouco de culpa e medo de estragar o que tenho estado a fazer... O peso de consciência é tramado! - bem pior que o da balança!!!!

Assim, quando me falaram no Brunch Detox que iria decorrer no Hotel Faro, pensei: tenho de ir experimentar! Mas... tinha de me preparar mentalmente para esta refeição demasiado saudável e onde imperariam os legumes. Deste modo, uns dias antes, estive a folhear dois livros: Águas e Sumos Detox e Sopas Saladas e Chás Detox. E porquê estes dois livros quando há tantos outros no mercado? Simplesmente porque o hotel se associou à simpática e conhecida autora, a Dra. Lillian Barros - quem é que não a conhece da TV ou do blog Santa Melancia? - para desenhar o menu deste brunch tão especial.

Fiquei super entusiasmada com o que se pode por na mesa usando apenas ingredientes "verdes" - que também podem ser amarelos, vermelhos, rosa, laranja... acho que só não vi lá nada azul! - e de véspera não resisti a experimentar um bolo de sopa, que de sopa só tem o nome e é mesmo delicioso.


Escusado será dizer que comi quase demais. Felizmente sei onde está o botão de stop e já consigo parar. Provei conjugações improváveis - como hamburgueres de grão com beterraba - e comi saladas maravilhosas sem me sentir uma vaca num pasto açoreano (desculpem-me os mais sensíveis, mas é isso que sinto quando me colocam na frente certas saladas...).

Quase me esquecia da sopa: sopa de cenoura, laranja e coentros!!!! Esta tenho de fazer em casa. É tão, tão, mas tão boa... 

Depois dos frios, das saladas em frasco, dos quentes - adorei o arroz de couve flor! - dos sumos e das águas - a minha favorita foi a de citrinos - e de um milhão de outras iguarias cujo nome já não sei sem ir ver ao livro ou ao blog, vieram os doces. Sim, havia doces!!!! - pelo menos dois que eu tenha provado: nutella falsa e trufas de tâmaras com goji. Havia também o bolo de sopa, mas esse não o comi, pois tinha um quase intacto em casa.

 
E para que se saiba: não fui a única a gostar! A sala do restaurante esteve sempre cheia e a equipa da cozinha não parou um minuto, pois havia travessas que mal eram pousadas no buffet tinham de ser substituidas, pois o seu conteúdo desaparecia num ápice. No meio deste corropio tive, ainda, o privilégio de reencontrar a queridíssima Susana do blog Avenida Chique, que conheci há uns meses no Bovino e com quem tenho combinado uma aula de dança contemporânea - só para experimentar e variar do meu adorado ballet (a propósito, já vos contei que vou aprender a dançar com pontas? pois é...mas isso é tema para outro post).


Parabéns ao Hotel Faro e a toda a sua equipa que conseguiu colocar um número generoso de pessoas ansioso pelo próximo evento detox. "Quando é o próximo?" - ouvi eu de diversas direcções.

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 

sábado, 2 de janeiro de 2016

2015 revisitado

Resisti até à última em escrever este post, mas quando comecei a ver os posts de 2015 acabei por ceder à tentação...
Escrevi muito menos que o habitual.
Estive muito menos tempo no atelier - aliás, houve semanas que não pus lá os pés.
Fotografei mais - "instagramei" até mais não poder!!!!
Tive algumas arrelias. Chorei. Recuperei.
Ouvi, li e vivi coisas que me magoaram. Perdoei - mas não esqueci.
Tive muitos, muitos momentos bons. Ri. Celebrei.
Tive provas de amizade que vão além do infinito e mais longe ainda. Sinto-me grata. Nunca as poderei retribuir.
Foi um ano muito, muito bom.

2016 estou pronta!

 
Os posts do ano:
Janeiro : #dizeroquevainaalma
Fevereiro: ser feliz todos os bocadinhos da tua vida
Março: porto, sempre o porto
Abril: arrumações (...que ainda não estão terminadas!!!!! shame on me)
Maio: like a princess without a castle
Junho: o porto, a cidade que sinto cada vez mais minha a cada vez que lá vou
Julho: home is where the light house is
Agosto: motivação
Setembro: hummmm nada de grande interesse... ahhhh, é verdade, foi o mês dos 41!!!!
Outubro: motivação - parte II
Novembro: ballet - admirável mundo novo
Dezembro: presentes especiais

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2016 - um ano com direito a bonus!


Pelo menos cinco foram as tentativas de escrever este texto: balanço de 2015, objectivos para 2016. Se fosse pelo balanço acho que me repetiria, pois ao longo do ano tenho feito vários updates do que se tem passado. 2015 foi um ano MEU, narcisista ao máximo em que cuidei de mim, essencialmente, por fora. O ano que se aproxima vai ser para cuidar de mim por dentro: este meu coração está a precisar de tratamento e é disso que vou tratar ASAP.

Como nenhum dos cinco textos que comecei a escrever me agradou, deixo-vos um sexto...

"2015 passou a correr e por esta altura muitos de nós já estão a sonhar com o ano que se aproxima, o qual vem com um bónus: pois é, 365 dias + 1 à nossa frente, que parecem uma eternidade...Eternidade essa que passa a uma velocidade feroz e se não temos atenção, chega e os sonhos estão onde de nunca chegaram a sair: naqueles pensamentos do início!
Aconteceu-lhe isso no ano que está a terminar? Temos pena! A esta hora não vale a pena chorar sobre o leite derramado. Sabe que tem pela frente um ano a estrear e que daqui a 12 meses poderá estar a celebrar as suas vitórias em vez de lamentar o que não lhe aconteceu?
Como? Não é tão difícil como parece nem tão fácil"... (continua aqui)


Quanto aos cadernos para os objectivos, se forem como eu que tenho mais de uma dezena por estrear e nenhum me apraz para a finalidade que quero, podem sempre fazê-lo. Vejam como é fácil aqui >>

Pano p'ra Mangas
Facebook | Instagram | Pinterest 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blogging tips