domingo, 24 de março de 2019

Oficina de Escrita Criativa

Ando há meses a cozinhar este petisco e vai, finalmente, sair do fogão. Já está apurado qb e creio que vá ser saboreado e o tacho raspado. Tem sido um verdadeiro exemplo de slow cooking.


A Oficina de Escrita Criativa vai acontecer já no Sábado, dia 30, num espaço que é um mimo: o Atelier , em Faro - sabem aqueles espaços que nos fazem sentir em casa? É lá! Ainda antes de ter aberto - no ano passado - a Rita desafiou-me a fazer lá algo e aquilo que, de imediato, me veio à cabeça foi uma oficina de escrita, afinal é algo de que gosto e que, de uma forma instintiva e natural, me está na massa do sangue, ou deverei dizer na ponta dos dedos? Ambos, parece-me! 

Quando?
Sábado, dia 30 de Março entre as 15h e as 19h

Onde?
No Atelier, em Faro (mesmo na Baixa e com estacionamento perto)

O que vamos fazer?
Ora, vamos falar do processo de escrita e de muito do que o envolve, inclusivamente a leitura. E vamos escrever. Vamos escrever muito, por isso preparem as lapiseiras e as canetas, que o papel levo eu - sim, em casa até podem escrever num teclado, mas ali terão de usar o papel. Tenho preparados exercícios que vão dar pano p'ra mangas eheheh

Pelo meio, por minha conta,  e porque não quero que ninguém desfaleça de sede ou de fome, haverá um ou dois intervalos para um café, um doce e dois dedos de conversa.

O que precisam trazer?
Vontade de escrever, o vosso smartphone e um sorriso no rosto

Informações e inscrições: margarida@panopramangas.com

Encontramo-nos no Sábado!

Pano p'ra Mangas

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Vamos falar de coisas sérias: copo menstrual


No início do ano, comprometi-me a viver os meus dias de uma forma mais sustentável. Posso não fazer grande coisa, mas o que fizer já é uma ajuda. É qualquer coisa como a famosa frase de Neil Armstrong: "That's one small step for man, one giant leap for mankind."

Se cada um de nós contribuir um pouco, tenho a certeza que amanhã teremos um planeta melhor. 

Aos já vulgares sacos de pano, que andam sempre na mala para qualquer eventualidade, à garrafa de água de 1.5lt de água metida no autoclismo, ao deixar o carro em casa e andar a pé ou ao facto de evitar comprar frutas e vegetais embalados, iniciei outras boas práticas que não custam nada e fazem toda a diferença. Comecei, por exemplo, a levar uma pequena caixa na mala para quando trago queijo fresco do mercado e fiz algumas mudanças no que diz à minha higiene - não, não deixei de tomar banho ou de lavar os dentes...

Como já o disse aqui, substitui a minha escova de dentes de plástico por uma de bambu. Tinha-a já há algum tempo, mas apenas a coloquei a uso quando a antiga estava em final de vida - ainda assim, não foi para o lixo e está reservada para as limpezas. Afinal, uma atitude amiga do ambiente não é substituir tudo o que temos em casa por coisas novas so por serem eco-friendly. Uma atitude amiga do ambiente passa por ir substituído à medida das necessidades.

A outra grande decisão que tomei - e não foi fácil, garanto-vos - foi deixar de usar pensos e tampões higiénicos. Então? Calma... Não cheguei ao ponto de usar pensos reutilizáveis - that's a bit too much!!!! Optei, antes, pelo uso do copo menstrual.

Algumas pessoas dirão "ai que horror!" ou "ai que nojo!" Não. Não tem nada de horror. Não tem nada de nojo. A não ser que tenham nojo de vos próprias. Posso afirmar, até, que é muito mais limpo que qualquer tampão ou penso. 

Primeiro estranha-se, mas depois - literalmente - entranha-se. Que me perdoem as pessoas mais púdicas,para não chamar preconceituosas, mas não há outra forma de falar nisto. Deixemo-nos de falsos pudores, ok? E eufemismos ou metáforas vou deixá-las para os anúncios ridículos da Evax ou da Tampax, publicidade à parte.
Antes de comprar o meu, fiz algumas pesquisas e coloquei-me algumas questões, as quais partilho, agora, convosco, pois as minhas dúvidas podem ser bem as vossas.  

Onde posso comprar?
Há várias marcas disponíveis no mercado e o copo menstrual pode ser adquirido, por exemplo, em farmácias, para-farmácias, lojas que promovem a venda de produdos biológicos/sustentáveis ou online.

Qual é o preço?
Os preços variam consoante as marcas e os locais de venda. Eu comprei o meu online, pois aproveitei uma promoção da Organicup em que pelo preço de um me enviavam dois.
Num primeiro momento até pode parecer caro, mas se fizermos contas ao que se gasta em pensos e tampões, em pouco tempo, o copo está pago. Além disso, os copos menstruais actualmente disponiveis no mercado tem uma durabilidade de até 10 anos.

Como escolho o tamanho?
Da marca que comprei há dois tamanhos: um para mulheres que já fizeram um parto vaginal e outro para quem não fez parto vaginal. Vistas as coisas deste prisma, é facil a decisão. Outras marcas terão outras tabelas, algumas variam entre os tamanhos S e  XL

É fácil de usar?
Sim. É fácil e muito prático: just relax and take it easy. Quer para introduzir o copo menstrual na vagina, quer para o retirar basta que se encontre a posição certa para o fazer de modo a não causar desconforto. Uma vez colocado, o copo adapta-se ao organismo e não temos de nos preocupar mais. Ao contrário dos tampões que devem ser mudados, em extremo, ao fim de 8 horas, o copo menstrual pode ser retirado apenas ao fim de 12 horas - tudo depende do fluxo, evidentemente, e num primeiro momento há que testar.

Confesso que a primeira vez que usei tive alguma dificuldade em retirá-lo e enervei-me. Cheguei a pensar que teria de ir ao hospital ou ao centro de saúde para o remover, mas bolas... se isso acontecesse, acontecia. Teria sido confrangedor, mas não seria vergonha nenhuma. Há coisas bem piores!!!! Não foi necessário. É mesmo uma questão de prática.

Pode haver fugas?
Segundo as marcas, dali nada foge! Nada mesmo :-) Nem a fazer o pino.

Como se higieniza o copo menstrual?
Basta passá-lo por água morna e um sabão neutro e secá-lo numa toalha ou papel higiénico e está pronto a ser usado. Há, também há venda "produtos próprios" para o efeito, mas segundo as leituras que fiz, não há necessidade.

O copo menstrual vem munido de um saquinho de algodão, onde poderá ser guardado de um mês para o outro. Antes de cada utilização é conveniente limpá-lo.

Uma das grandes vantagens que senti relativamente aos pensos e aos tampões é a ausência de odor. Zero cheiro! Ponho-o de manhã, tiro-o e higienizo-o ao final do dia e volto a pô-lo para dormir. Faço desporto sem qualquer problema nem desconforto. E como já disse umas linhas acima: Zero fugas!

Eu sou aquela pessoa céptica e resistente a algumas destas "modernicas", mas quando experimento, normalmente fico rendida e afinal, aquilo que durante algum tempo me intrigou e me deixou de pé atrás é, agora ,um excelente aliado naqueles dias chatos do mês.

Relativamente a estes dias só há uma coisa que não tem solução: o meu humor de urso!!! Por favor, deixem-me dentro da caverna se não quiserem ser vítimas de um ataque.

Abaixo deixo-vos um infográfico onde é feita a comparação entre o uso de tampões e o copo menstrual. Caso tenham dúvidas e não vos apetecer pesquisar no Google - que foi o que fiz antes de comprar - deixem-me um comentário ou enviem-me um e-mail e eu tentarei responder na medida do possível.


#notsponsored - o facto de falar na Organicup prende-se unica e exclusivamente com a minha experiência enquanto utilizadora desta marca, pois, na altura em que fiz a compra foi a que me ofereceu uma melhor relação qualidade/preço.

Pano p'ra Mangas

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Video Lucem ao sabor da Algarve Food Eating Tours


Já lá vão uns meses desde que teve início o programa para 2018/2019 do 365Algarve e já lá vão umas semanas desde que estive presente num dos eventos deste certame. Shame on me que ainda não partilhei aqui a experiência - não tem sido falta de tempo, tem sido falta de disponibilidade, pois tenho mil e uma coisas a acontecer quase em simultâneo e eu gosto de me dedicar a cada uma delas sem sobrepor tarefas. Porquê? Porque depois dá asneira!

Em Janeiro participei num verdadeiro três em um: Primeiro, um tour cultural pela belíssima aldeia de Estoi, com paragens no Palácio de Estoi, na Igeja Paroquial e no Cinema Ossónoba; Seguiu-se um jantar promovido pela Eating Algarve Food Tours, que me levou a uma viagem gastronómica pelo litoral e barrocal algarvio sem que, para isso, tivesse de sair da mesma mesa e, finalmente um espectáculo que reuniu Poesia, Música e Imagem a cargo do 365Algarve.


Depois de uma semana de sol, o São Pedro resolveu boicotar os nossos planos e naquele sábado ao final do dia chovia copiosamente, como há muito não acontecia. Contudo isto não demoveu o pequeno grupo que se juntou em frente à igeja para, alegremente, fazer o tour e, atentamente, ouvir as explicações do nosso guia, Jorge Carrega. Fazer estas visitas com alguém entendido tem outro sabor, pois ficamos a saber pormenores que, de outra forma, não nos chegariam. Por exemplo: a igreja paroquial tem o nome de Igreja de São Martinho e, lá dentro, a pia batismal encontra-se do lado direito, ao contrário do que é habitual; já o cinema Ossónoba foi inaugurado em 13 de Agosto de 1950 e, ainda hoje, preserva a máquina de projecção dessa época - uma verdadeira relíquia! A história do Palácio de Estoi, actualmente sob a alçada do Grupo Pestana, também é bonita de se ouvir e, para mim, o mais curioso, foi a existência de uma área aberta à comunidade local aquando da sua construção, apesar de ser propriedade privada.


Hoje em dia o Palácio de Estoi pertence à rede das Pousadas de Portugal administradas pelo grupo hoteleiro acima mencionado e é um lugar muito bonito de se visitar - tenho uma predilecção pelos azulejos da cozinha, que estava encerrada neste dia. Há ainda os jardins com o coreto, e no lugar das antigas cavalariças existe um espaço para eventos onde decorreu o Video Lucem e para onde fomos de seguida.

Confesso que não ía com grandes expectativas, apesar da curiosidade fervilhar na minha cabeça. Cheguei até a pensar que não iria perceber nada do que se iria passar e que me iria arrepender de ter ido - ainda por cima estava de chuva e eu com uma constipação de só apetecer ficar em casa. 


Surpresa das surpresas, foi um evento magnífico!!! Adorei! Ainda bem que não fiquei em casa. 

Foram apresentados excertos de três filmes. Todos diferentes e todos excelentes. Mas, mais magnificas - e trágicas -, são as histórias escondidas por trás desses mesmos filmes. O primeiro, o último e incompleto filme protagonizado por Marlin Monroe - nunca chegou a ser terminado pois foi interrompido pela trágica morte da actriz. O segundo, Três Dias Sem Deus, do qual apenas restam 20 minutos de película, pois o resto foi destruido há uns anos num violento incêndio na Cinemateca Portuguesa. Este filme, que esteve nomeado para Cannes e tem um nome a reter:  Bárbara Virgínia - investiguem que vale a pena! Por último “O Fado” de Maurice Mauriaud, um filme mudo inspirado na pintura de José Malhoa com o mesmo nome.  As imagens foram acompanhadas de música e poesia ao vivo por Filipe Raposo, Rita Maria e Ricardo Ribeiro.


O próximo Video Lucem acontece já no dia 23 de Fevereiro em São Brás de Alportel e eu só não vou porque não estarei por cá nesse fim-de-semana. Ainda assim, estarei atenta aos próximos, pois eles acontecerão todos os meses até Maio, numa localidade diferente.

O programa deste ano do 365Algarve é, deveras, rico e variado, por isso vale a pena estar atento e participar. Afinal, o Algarve não é só praia!

Informações adicionais:
365 Algarve: site, facebook, instagram
Eating Algarve Food Tours: site, facebook, instagram

Nota: as fotos diurnas foram tiradas numa data posterior ao evento, pois as condições meteorológicas não estiveram a favor de imagens de exterior...

Pano p'ra Mangas

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

E Fevereiro já quase a meio...


Dizem que Janeiro é o mês mais longo do ano, mas a mim pareceu-me que passou a correr. Assim, sem que tivesse dado por isso já estamos com Fevereiro quase a meio e eu, que tinha prometido a mim mesma manter o blog mais actualizado, estou a falhar - redondamente!!! - com esta promessa.

Tenho em modo rascunho uns quantos posts, que não há meio de sairem à cena. Sobre o quê? Ora... váriadíssimos assuntos, entre eles um evento do 365 Algarve que adorei, o progresso da dieta + ginásio, projectos novos no meu atelier - também conhecido por #myhappyplace -, consumo sustentável - mais precisamente sobre umas experiências que tenho feito, entre alguns outros que há tempos me foram sugeridos no Instagram.

Têm paciência para esperar? Promento que esta ausência será, em breve, quebrada e que a partir da próxima semana me organizo melhor.

Até já!

Pano p'ra Mangas

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Investir em 2019. Investir na vida


Este ano resolvi não fazer planos nem estabelecer objectivos para 2019. Aliás, eu tenho-os em modo rascunho, mas neste início de ano vou guardá-los para mim e para quem me está mais próximo. Desculpem-me os mais curiosos...


Contudo, isto não me impede de partilhar aqui um investimento que quero fazer, conscientemente, em 2019 e, inconscientemente, nos anos seguintes.



E que investimento é este? Tem a ver com consumo sustentável. Sim, eu sei que este é um tema que anda nas bocas do mundo, mas há pequenos gestos que podem fazer a diferença. Na família, a minha irmã é, sem dúvida, a "evangelizadora" da matéria: ela lê, ela informar-se e vai aos poucos incutindo melhores hábitos de consumo - digo melhores, porque nem todos são maus.



É um assunto que dá pano p'ra mangas pois é transversal a tudo o que é consumível, desde a água e luz aos cotonetes e pensos higiénicos e, especialmente, aos hábitos diários de consumo que temos.



Dar as mãos ao consumo consciente não é, por exemplo, pegar nas toalhas e lençóis que uso em casa e colocá-los de lado para ir comprar outros de algodão orgânico ou de algum material ecologicamente sustentável. Na minha modesta opinião, parece-me mais importante usar o que tenho até não poder mais e à medida que for necessário, substituir tendo em atenção os materiais e a sua origem.



E isto não é teoria... Dou-vos um exemplo. Há uns meses foi-me oferecida uma escova de dentes de bambu menos de uma semana depois de eu ter estreado uma "normal". Substitui logo? Não. Procedi à substituição apenas três meses depois. E a escova velha? Vai servir para usar nas limpezas. 



Não não me vou tornar freak nem fundamentalista, mas há pequenos gestos que ajudam, especialmente se os conseguirmos transformar em hábitos. E sim, de início dão trabalho e podem ser uma verdadeira guerra ao nosso comodismo.  Posso dar-vos alguns exemplos generalistas:



ROUPA.👗 E que tal pensar duas vezes antes de comprar? Irei mesmo vestir? Com que outras peças poderei combinar? E a relação qualidade-preço? A existência de uma fast-fashion é deveras tentadora e aquela ideia de ter um vestido para usar durante vinte anos é coisa do tempo das nossas avós.
Bom, bom seria fazer a minha própria roupa, mas ainda não estou - nem sei se alguma vez estarei - pronta para esse passo, além disso as experiências que já fiz sairam-me meio furadas 😂 Eu sou forreta, mas também sou vaidosa. E sim, visto o que compro até à exaustão! E quando deixo de vestir, se estiver em boas condições, dou a outra pessoa, o que não está em boas condições, recorto e serve para fazer trapos de limpeza, por exemplo.

AUTOMÓVEL.🚗 Acreditem que fazer uma vida normal aqui pelo meu Sul sem automóvel pode-se tornar uma verdadeira aventura. Em Lisboa, quando há greves nos transportes, parece que o mundo vai acabar, agora imaginem o que é viver sem esses mesmos transportes. É verdade, aqui são muito limitados, especialmente para quem tem horários a cumprir. Ainda assim, e pelo facto de as cidades serem pequenas, é possível estacionar o carro e ir a pé de uma ponta à outra. O mesmo acontecerá por este país fora, já que Portugal não é só Lisboa, Porto e Coimbra. 
Uma coisa é certa: desde há uns meses passei a andar mais a pé, passei a apreciar mais a minha cidade e ainda poupo em combustível.

SUPERMERCADO.🍐 Aqui é que a coisa se torna complicada, até porque a escolha é enorme e raramente se consegue comprar algo que não venha embalado em mil invólucros de plástico.o que faço, então? Por exemplo, compro fruta avulso e coloco-a no cesto. Na hora de pagar, levo-a dentro de um saco de pano (ou dentro da mala... 😂 que é grande!) A lista de compras também é importante, pois evita compras e desperdício desnecessários - nem é aquela coisa de ir para o supermercado com fome, é mais "ah, deixa cá experimentar isto" - e depois cai no esquecimento e ... lixo!
Quanto ao consumo de frutas e legumes tento, ainda, consumi-los dentro da sua época natural. E se de inverno me apetecer figos? Temos pena! Não como! Espero pelo verão, pois têm mais sabor e não custam os olhos da cara.
Na mala tenho (quase) sempre um saco de pano para levar as compras e quando não o encontro (é que a minha mala pode ser um poço sem fundo) uso a mala como saco 😃. 

PRODUTOS DE HIGIENE. 🛀 Ora aqui está algo ainda muito fresco e muito novo para mim, por isso ando em experiências: já não uso toalhitas desmaquilhantes, substitui o desmaquilhante e o tónico por óleo de amêndias doces e água das rosas, respectivamente e no dia em que a minha esponja de banho "falecer" vou começar a usar os tawashis da foto (que também têm outras utilidades, como por exemplo, lavar a loiça) e que me foram oferecidos. Quero também, experimentar o champô sólido - algo que desconhecia até há dias! -  e ver como é que o cabelo se comporta.

Como podem perceber, não são grandes mudanças de hábitos, mas se aos poucos incutirmos estas rotinas no nosso dia a dia, em pouco tempo adquiriremos novas e o que anteriormente teria sido um bicho de sete cabeças, passa a ser normal.


Pano p'ra Mangas


domingo, 25 de novembro de 2018

2019: quando é que ele chega?

Todos os anos deixo para a semana entre o Natal e o Ano Novo a compra de uma agenda para o ano seguinte. Este ano resolvi antecipar-me e adquirir já uma para 2019. Porquê? Porque, sinceramente, estou cansada deste ano... Mal posso esperar que 2018 chegue ao fim!

Não, não foi um ano mau. Mas também não foi um ano bom... Foi demasiado morno, sem momentos WOW que me ponham os olhos a brilhar. Olhem, não sei. Apetece-me virar esta página ASAP.

E movida por esta vontade de mudar de livro, fui na meca de uma agenda nova. Percorri os lugares do costume aqui em Faro e acabei por encontrar o que queria na FNAC do Forum Algarve. Estive indecisa entre uma agenda "normal" e uma outra "anormal" 😄, mas já que estou com apetites de mudança, optei pela "anormal".

E o que é uma agenda "anormal"? É uma bullet journal. Havia uma completamente em branco, apenas com as páginas ponteadas e havia esta do Mr. Wonderful. A diferença de preço entre as duas não era significativa e por esta já estar semi-orientada acabei por optar pela via mais prática - se tivesse adquirido a outra, de certeza que me cansaria e acabaria por ir comprar uma agenda "normal".

Tal como as outras agendas da marca, também esta traz um conjunto de autocolantes no final e como ainda tenho um montão das dos anos anteriores, fiquei com dezenas deles para colar e decorar os dias, tornando-os mais felizes. Contudo, se bem me conheço, vou optar por rabiscar pois tenho esta mania do "não usar para não gastar".

Já em casa, reuni as canetas de cor e comecei já a dar forma ao mês de Janeiro, afinal já tenho coisas a querer acontecer no início do ano. 

Quero encher esta agenda de momentos e experiências bonitas, sonhos concretizados, planos realizados, viagens - quem sabe!. Quero encher esta agenda do meu mundo pintado a cor-de-rosa, longe do cinzento e "cor de burro quando foge" que está a ser este ano.

 A Margarida agradece e, pelo que sei, há mais pessoas a querer ver 2018 bem longe, também!

Pano p'ra Mangas

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

This is the PLACE to be

Às vezes é necessário mudar. Porque sim. Porque não somos árvores. Porque a mudança é necessária. E para isso é preciso fazer escolhas: nem sempre fáceis, nem sempre de ânimo leve, contudo se a nossa consciência nos diz que é isso que devemos fazer, por que não? Eu sou uma pessoa de hábitos e por vezes é-me difícil mudá-los...

Pois é. Mudei de ginásio. Mudei de tipo de treino. Mudei muita coisa. Só não mudei - ainda - o equipamento eh eh eh 

E porquê? Porque achei que era hora de o fazer. Perdi a motivação para treinar durante o verão e o regresso à rotina estava a custar-me imenso. A mudança nada tem a ver com o ginásio que frequentava nem com os PTs. O "problema" estava dentro de mim e a única forma de o resolver foi mudar. Mais uma vez andei a pesquisar que outros ginásios haveria nas proximidades da minha casa e encontrei uns quantos. Fui ver um e pareceu-me que seria mais do mesmo e se eu me apetecia mudar não seria para algo igual. Depois fui ver o PLACE e fiquei interessada...

Dois dias depois da primeira visita fui fazer um treino experimental e três dias depois formalizei a inscrição.

De que é que gostei logo à primeira vista? Várias coisas:
- a simpatia com que fui recebida
- a clareza com que me explicaram o funcionamento do espaço
- a luz natural que banha toda a sala 
- a colaboração dos PTs em sala e a atenção que dão a quem está a treinar
- o tipo de pessoas que frequenta o ginásio (é que eu sou muito esquisitinha e se tivesse visto aquela malta do ferro tinha logo dado meia volta...)
- os treinos (em sala há dois tipos disponíveis aos quais são feitos ajustes e cada pessoa tem um plano que é prescrito após uma avaliação)
- o facto de ter uma nutricionista
- os sorrisos de toda a gente
O meu instinto disse-me que estava no sitio certo e em boa hora decidi dar o salto. Desde então tenho ido treinar quase todos os dias - really, Margarida? OS DEUSES ENLOUQUECERAM, DE VEZ! Sim, em vez de três vezes por semana, tenho ido cinco - já explico mais abaixo...

Já fiz a primeira avaliação física - sem comentários, pois o que tinha conquistado até Julho, destrui durante o verão - bastante completa e pormenorizada e já tenho o meu plano de treino, o qual vou alternando com treinos metabólicos. Neste momento o objectivo é perder massa gorda e redefinir as curvas da Serra do Caldeirão - podem não acreditar, mas até a cintura ficou em modo barril e ganhei um pneu Michelin que há muito não tinha 😒

Os treinos são muito diferentes daquilo a que estava habituada, mas tenho a certeza que o trabalho anterior serviu de base para este, especialmente a nível da resistência e de alguma autonomia, pois não tenho de pedir ajuda de cada vez que leio nomes como "squat com press de ombros" ou "lunge atrás com halteres" - só para dar uns exemplos... Os únicos aparelhos que uso são a passadeira, o remo e a bicicleta e os restantes exercícios são feitos apenas com o peso do corpo - na hora fico muito mais cansada e transpiro que nem uma louca, mas depois não fico tão dorida ao ponto de não me conseguir virar na cama, como às vezes acontecia. É caso para dizer: "uma hora de treino por dia não sabe o bem que lhe fazia" 😀

Os resultados virão com o tempo, o esforço e a dedicação. Neste momento recuperei o mais importante:  a MOTIVAÇÃO sem a qual não chegarei a lugar nenhum.

OBRIGADA a todos os que me acompanham nesta nova etapa de um caminho que já é longo. O meu mote é:

Não quero um corpo igual ao da fulana ou sicrana. 
Eu quero a melhor versão que o meu corpo pode ter.

Pano p'ra Mangas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blogging tips