quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Os meus livros favoritos de sempre


Nestes quase 40 anos que levo em cima já passaram pelas minhas mãos e pelos meus olhos umas boas dezenas - para não dizer centenas de livros. Lembro-me de em míuda ter um período internada no hospital e como não podia sequer sair do quarto entretia-me a ler. Fiquei conhecida como a "papa livros" - devo ter lido as diversas colecções da verbo que ainda hoje habitam lá em casa. Mais tarde li e reli os livros da Carlota e algumas das colecções da Enyd Blyton: sentada num sofá forrado de verde que havia na cozinha em casa dos meus avós passava horas a rir e a delirar com aquelas aventuras, ao ponto de a minha avó se zangar comigo porque lia demais. Já na universidade e por causa do volume de obras que era obrigada a ler, confesso que perdi um pouco o gosto pela leitura e pouco li além do que estava estipulado nos diversos programas de línguas e nas diversas literaturas. Depois ganhei novamente o fôlego e nunca mais parei.
Associo cada livro a momentos específicos da minha vida, a emoções e a mudanças. Neste Dia Mundial do Livro parei um pouco para pensar e resolvi fazer o meu TOP 5. Querem saber qual é?

1- Os Maias, de Eça de Quirós
2 - O Mistério do Jogo das Paciências, de Jostein Gaarder
3 - A colecção completa do Colégio das Quatro Torres, de Enyd Blyton
4 -Viagens na minha terra, de Almeida Garrett
5 - Os Pilares da Terra, de Ken Follet

Podia continuar... ai se podia! Mas aí em vez de um Top 5, teria um Top 100!!!
Também tenho algumas manias no que respeita a livros:
Não empresto nem peço emprestado, salvo raríssimas excepções
Não uso um marcador ... normalmente qualquer talão de supermercado ou multibanco acompanha-me até ao final da leitura
Leio sempre com um lápis na mão - fiquei com esta mania dos tempos do secundário...

E quem por aqui passa? Tem um Top? Tem algumas manias que queira partilhar? Tenho a certeza que há por aí umas coisas giras :-)


PS- Os livros da imagem, encontrei-os há dias junto de uma lixeira... Não resisti e trouxe-os para casa!

Pano p'ra Mangas

terça-feira, 22 de Abril de 2014

A pensar no Dia da mãe


Aqui em casa sempre assinalámos, com algo feito por nós, o Dia do Pai e o Dia da Mãe: um bolo, uma bolsa, um postal... Da minha infância lembro-me de dois presentes feitos no colégio: um lenço pintado para o pai e um postal com um bocado de tecido colado ao qual cosi uma mola, um colchete e um botão para a mãe
E foi a pensar no Dia da Mãe e em quem não sabe fazer ou simplesmente não consegue arranjar tempo que fiz estas pequenas bolsas - únicas como qualquer mãe - que se vieram juntar às carteiras que foram finalizadas há uns tempo. São todas diferentes - em tamanho, em padrão...
Qual é a mãe - mais nova ou mais velha - que não tem bolsas e bolsinhas dentro da mala?
Se gostaram de alguma e querem informações sobre a mesma, não hesitem e enviem-me um e-mail para margarida@panopramangas.com



Pano p'ra Mangas

segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Casinha, Av. da Boavista nº854, Porto


 
As imagens não fazem jus, de todo, a este espaço em plena Avenida da Boavista no Porto - é que não fazem mesmo! Mas não podia deixar de as partilhar convosco...
No fim-de-semana que estive lá, não tive mesmo tempo para nada. Acreditem que apenas tive a oportunidade de estar com a querida Maria João e foi quase por acaso já na hora do regresso a Faro. Mas entre o Porto Palácio Hotel e a estação de metro da Casa da Música há muitos metros de avenida para percorrer a pé, e foi nesse percurso que encontrámos - eu e a mana - a Casinha! Lá tudo é delicioso de se ver e de se comer - provei o melhor gelado dos últimos tempos: bolacha Maria com framboesas e a tarte de maçã era simplesmente divinal! O espaço é perfeito: é bonito, acolhedor, tem gente simpática e, sobretudo, tem alma. 
E agora, indo buscar o velho ditado "a galinha da vizinha é melhor que a minha", nem imaginam como tenho pena que aqui pela capital do distrito não haja (quase) nada assim, com este ingrediente especial e que faz os sítios, muito mais que os móveis os quadros e a decoração, e a que chamamos de alma... ou pelo menos uma alma gémea da minha :-)


Pano p'ra Mangas

sexta-feira, 18 de Abril de 2014

Dolce far niente

Gosto de dias assim, prazeirosos, lentos e sem correrias, onde a obrigação é o prazer e onde salto de momento em momento sem pensar bem no que vem a seguir.

Pano p'ra Mangas


segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Wedding planning ... ou algo parecido


Há cerca de dois meses recebi uma proposta irrecusável. Irrecusável por duas razões: primeiro porque veio de uma amiga querida e segundo porque tem a ver com uma paixão de criança. Quem me conhece sabe bem do que falo, embora aqui nunca tenha deixado transparecer isto - que me lembre, pelo menos... 
Pois é, estou a ajudar na organização de um casamento! Acho que é a minha última amiga a casar - pelo menos primeiro casamento... É giro, dá trabalho e para angústia minha/nossa, o Algarve é um buraco negro no que diz respeito a fornecedores - há excepções, claro, mas a regra... é muito má! Para encontrar fotógrafo tivemos de subir no mapa, os convites não vão ser feitos cá (mas isso é opção dos noivos que vivem lonnnggeeee), o bolo está a ser uma verdadeira dor de cabeça e a decoração vai ser de acordo com o que está disponível na quinta, à qual iremos dar o nosso twist :-)
E foi neste contexto que há umas semanas estive na Quinta dos Agostos, onde se irá realizar a festa, e onde não ía há mais de 10 anos... Continua lindo. Aliás, está mais bonito ainda! Houve lá uma espécie de "demo" do que podem ser as mesas e a decoração dos espaços e eu aproveitei para tirar umas fotos. 
Obrigada M. e C. por esta oportunidade única!

Pano p'ra Mangas

domingo, 13 de Abril de 2014

The rhubarb saga - episode 4

Ora aqui está actualização mensal do estado dos meus ruibarbos. Há um mês coloquei-os em vasos mais fundos para que as raízes pudessem crescer e ontem transplantei-os para a terra onde, espero, venham a ficar lindos como aqueles que vejo no Pinterest :-) - e não, não vou ficar com nenhuma depressão se isso acontecer, pois sei desde o início que esta é uma experiência que pode não dar certo, e que estou a desafiar as leis da produção agrícola, especialmente por causa do clima.
Apesar de ter chovido na semana passada - e se choveu! - e de ter passado a terra três vezes com o alvião, ainda estava muito dura e não a soltei o suficiente, por isso,o meu pai veio em meu socorro (força de homem é outra coisa!) e acabou por ser ele a fazer a parte mais dura do trabalho. Depois só tive de regar à volta das plantas et voilá!
Da sementeira que fiz inicialmente, com 36 sementes, germinaram 30 e dessas passei para a terra 25. Nada mal, pois não?


Pano p'ra Mangas

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

A fingir que sou um blog de culinária: crackers de couve flor


Pois é, o tempo não tem dado para mais nada a não ser cozinhar! Nem tenho posto o pé dentro do atelier para coser um botão sequer, e acreditem que já sinto falta...
Este reinicio de dieta não está a ser fácil e quando a fome aperta a primeira tentação é pegar na primeira coisa que está à mão - normalmente dá asneira! Por isso hoje, depois de ter chegado a casa fui cozinhar algo saudável, permitido e muito, muito tentador: Crackers de couve flor com presunto, alecrim e tomate seco. 
A ideia da couve-flor veio de uma receita para base de pizza que li aqui, mas como não faço pizza, pensei que acrescentando alguns outros ingredientes o resultado também fosse bom. E foi mesmo.

Ingredientes
(para dois tabuleiros)

1 couve flor - só a parte branca
5 fatias de presunto - só a parte magra
2 tomates secos
3 fatias de queijo magro
2 ovos ou 3 claras - para ligar
alecrim a gosto
sal e pimenta

Picar todos os ingredientes, excepto os ovos, com a ajuda de um robot de cozinha - eu piquei tudo na Bimby - mas uma velhinha 1,2,3 serve na perfeição - , juntá-los e envolvê-los bem com os ovos até formar uma massa. Temperar com o alecrim, o sal e a pimenta.
Distribuir a massa por dois tabuleiros forrados com papel vegetal, dividir em quadrados e levar ao forno pré-aquecido (200ºC) durante cerca de 20 minutos, ou até ficar dourado e estaladiço.


Para quem não está de regime, poderá emparelhar estes crackers com um vinho. Mas como de vinhos eu não percebo nada, perguntei a quem sabe o que é que aconselharia.
Um Viogner do Alentejo ou um Encruzado do Dão foram as sugestões do André Ribeirinho. O Ricardo Bernardo sugeriu um Verdelho da Madeira ou o Rosé Campo Largo. Depois veio a Celma Carreira e disse que um Bageiras Rosé era muito melhor. Por fim, o Jorge Nunes deixou a seguinte sugestão: Cabriz Encruzado.
As opiniões não são unânimes e é, por isso que, segundo os meus conselheiros, o mundo dos vinhos é tão interessante... e confuso :-)
Cheers!


Pano p'ra Mangas
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blogging tips