domingo, 21 de janeiro de 2018

Happy girls wear tutus

Ainda antes de entrar para o ballet e até mesmo de sonhar que iria pisar um palco, tinha o sonho de vestir uma saia de tule - assim à laia de Carrie Bradshaw no mítico Sexo e a Cidade.

E, por isso, devo ter na minha conta de Pinterest mais de uma dúzia de pins com saias de tule: curtas, compridas, claras, escuras ou coloridas...uma infinidade de hipóteses. Até já tentei fazer uma - que nunca cheguei a terminar, pois aquilo correu muito mal. E ainda bem, pois a minha altura e largura de anca não se compadecem com um tutu - pareço um bolo, um rebuçado embrulhado...sei lá, qualquer coisa muito pouco atractiva. Com isto cheguei à conclusão que tutus são para ser usados no ballet ou no carnaval (ahh, e em vestidos de noiva? Sim, também, mas esses têm uma pinta diferente). Gosto de ver nos outros, não em mim.

O espectáculo, na semana passada fez com que tirasse o de Giselle do armário e, depois de o ter deixado ao ar uns dias, estive a arrumá-lo. Não sem antes ressuscitar o que foi o meu primeiro tutu de verdade, o que usei no número do Lago dos Cisnes em 2016. E já que os tinha fora do armário, fui também buscar os acessórios da cabeça e as pontas (que já começam a ser algumas...). Fiquei a olhar pare eles durante um bom bocado... O tutu comprido é, sem dúvida o mais bonito, mas o toucado do Lago dos Cisnes é qualquer coisa...de maravilhoso e de "fotografável"!

O anoitecer combinava com o acto de guardar os fatos - como se fosse o cair do pano - e as cores no céu estavam tão bonitas que não resisti a brincar às fotografias. Assim, lá fui eu para o meio das árvores nuas e vesti-as de sonhos.
Enquanto estes fatos ficam guardados, no Atelier já se prepara o próximo espectáculo e esse vai ser... não posso dizer!!!! 😂Com ele, virá mais uma saia de tule para a colecção. Quem diria que me iria dar para isto? Quem diria que me iria tornar numa contadora de sonhos?

Loucura? Insanidade? Ambição? Sede de protagonismo? Não...apenas a felicidade na ponta dos pés emoldurada por este texto com mais de 10 anos:

Hoje queria ser bailarina.
Dessas que dançam em pontas dos pés, com lindos vestidos de tule.
Dessas que são leves nos passos e espalham uma brisa por onde passam.
Dessas que se esticam e os seus contornos se confundem com o horizonte.
Dessas que escondem no sorriso, o trabalho árduo por trás de cada passo.
Dessas cujo palco é a casa e a casa é o palco onde actuam as suas fantasias.
Dessas que se deixam levar pelo sonho de voar.
Dessas que pisam as tábuas de cor, de olhos fechados, percorrendo-as com piruetas, pousando sempre no sítio certo.

Dir-me-ão: "Para se ser tal bailarina é necessário muito trabalho, muito sacrifício, muita dor..."
Eu sei, mas peço-vos: Não me arruinem o sonho!


Pano p'ra Mangas


3 comentários:

  1. Tão lindo!
    É a capacidade de sonhar que nos faz viver, que nos faz vibrar. Não a percas nunca e continua a dançar.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns, Margarida, pela persistência e pela garra!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Blogging tips